Normas Técnicas

circ_paral_heliponto_peqA sinalização luminosa em helipontos poderá, para efeitos de homologação ou registro definitivo junto ao Comando da Aeronáutica, ser executada com os circuitos de suas luminárias ligadas em paralelo (vide diagrama na fig.1 ao lado), desde que sejam atendidas as exigências conforme Parecer Técnico Nº 001 / PN 32 / 96 da DIRENG / Comando da Aeronáutica:

1) Terem controles de tensão (brilho) do circuito de pista para os valores de:

100% da tensão nominal (Vn) > Brilho 3
60% da tensão nominal (Vn) > Brilho 2
41% da tensão nominal (Vn) > Brilho 1
2) Terem queda de tensão máxima admissível de 7%;

3) Os cabos alimentadores devem ter classe de tensão 0,6 / 1KV para tensões de trabalho de até 440V entre fases;

4) Os globos das luminárias devem ter as mesmas características das utilizadas no circuito-série de corrente constante (cor Amarela), visando atender a NBR 11.482 – Vidros para auxílios visuais luminosos de uso aeronáutico;

5) Todas as luminárias e equipamentos de alimentação deverão ser interligados ao sistema de aterramento de acordo com a NBR 12.971 – Emprego do sistema de aterramento para proteção de auxílios luminosos em aeródromos

6) O circuito deverá ser interligado também a uma fonte de emergência, específica para lâmpadas incandescentes (carga resistiva);

7) Utilizar lâmpadas incandescentes com valores mínimos de 40W;

8) A resistência de isolamento dos circuitos, desconectados da fonte, em quaisquer condições, não deve ser menor que 0,5M;

9) As conexões elétricas das luminárias devem ser do tipo PLUG e RECEPTÁCULO no intuito de minimizar a resistência mecânica nos casos de acidentes entre a aeronave e o sistema de sinalização luminosa.

Em concordância com as exigências supracitadas, a METROL® elaborou o diagrama de ligações dos equipamentos (vide verso), tomando como base um circuito com 24 (vinte e quatro) luminárias elevadas (960W) e 01 (Um) Ind. Visual da Direção do Vento (BIRUTA) com sistema de iluminação (660W).